epoc

O que é a doença pulmonar obstrutiva (DPOC)?

A sigla DPOC refere-se à Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, que se caracteriza por ser uma doença crónica inflamatória que obstrui o fluxo de ar a partir dos pulmões. Os sintomas incluem dificuldades respiratórias, tosse, produção de muco (com expetoração) e pieira. A DPOC é causada pela exposição de longo prazo a gases ou partículas irritantes, na maioria dos casos ao fumo do cigarro. Afeta cerca de 10% da população global e é, atualmente, a quarta causa de morte no mundo, embora se estime que em 2020 se venha a tornar no terceiro principal motivo de óbitos a nível mundial.

O fumo do tabaco tem nos pulmões um efeito semelhante ao produzido na pele. Dá-se uma perda significativa do tecido elástico, o que se traduz num envelhecimento acelerado. Desta forma, os fumadores com a doença DPOC , mesmo com uma idade cronológica de 50, 60 ou 70 anos, podem apresentar uma idade biológica pulmonar de 10, 15 ou 20 anos superior.

As duas condições que mais contribuem para o desenvolvimento da DPOC são as seguintes:

  • Bronquite crónica, que engloba o aumento da produção de muco (expetoração) e tosse regular. O diâmetro dos brônquios diminui e, por ser necessário respirar por tubos mais estreitos, o esforço para movimentar o ar torna-se muito maior, causando dificuldades respiratórias.
  • Enfisema, uma doença pulmonar que provoca falta de ar. As pessoas com esta condição têm os sacos de ar dos pulmões (alvéolos) danificados.

A maioria das pessoas com DPOC apresenta ambas as condições.

As pessoas com DPOC apresentam um maior risco de desenvolver doenças cardíacas, cancro do pulmão e várias outras doenças.

Causas que estão na origem da doença

O principal fator de risco para a DPOC é o tabagismo. Até 75% das pessoas com DPOC fumam ou costumavam fumar. A contaminação do ar pela poluição, a inalação do fumo de outros fumadores ainda no ar, os vapores químicos ou o pó presente no meio ambiente ou no local de trabalho também podem contribuir para o desenvolvimento da DPOC. A consequência mais grave acaba por ser, em muitos casos, a morte.

Além disso, as pessoas com histórico familiar de DPOC, se fumarem, são mais propensas ao desenvolvimento da doença.

Sintomas da DPOC

Os sintomas da DPOC não costumam manifestar-se até que ocorra um dano significativo nos pulmões e, geralmente, pioram com o tempo, sobretudo se a pessoa afetada continuar exposta ao fumo do tabaco.

Os doentes com bronquite crónica apresentam, como sintomas principais, tosse diária e produção de muco (expetoração), pelo menos três meses por ano, em dois anos consecutivos.

Outros sinais e sintomas da DPOC são os seguintes:

  • Dificuldade respiratória, especialmente durante a prática de atividade física
  • Pieira
  • Pressão no peito
  • Ter de limpar a garganta ao acordar devido ao excesso de muco nos pulmões
  • Tosse crónica, que pode produzir muco, seja transparente, branco, amarelo ou esverdeado
  • Cor azul nos lábios ou leitos ungueais (cianose)
  • Infeções frequentes nas vias respiratórias
  • Falta de energia
  • Perda de peso involuntária (nos estágios mais avançados)
  • Inchaço nos tornozelos, pés ou pernas

Os sintomas da DPOC incluem dificuldades respiratórias, tosse, produção de muco (com expetoração) e pieira

Tratamento da doença pulmonar obstrutiva

Se o diagnóstico a que foi submetido determinou que o paciente tem DPOC, deve ficar claro que se trata de uma doença incurável. No entanto, há recomendações e tratamentos para atenuar a doença. Sem dúvida, a forma mais eficaz e menos dispendiosa de combater a DPOC em fumadores é deixar de fumar, pois retarda a evolução da doença e reduz a mortalidade.

Existem também os tratamentos medicamentosos e a fisioterapia, que podem aliviar os sintomas, melhorar a qualidade de vida, aumentar a capacidade de exercício e reduzir o risco de morte.

Prevenção

A melhor prevenção é não fumar. Pode consultar um especialista para obter conselhos sobre programas que o incentivem a deixar o tabaco. Um dos tratamentos mais recomendados para fumadores com dependência moderada a alta de nicotina é a Terapêutica de Substituição da Nicotina (TSN), que, não substituindo um vício por outro, fornece quantidades menores e mais controladas de nicotina. A dose é reduzida lentamente para que de forma gradual deixe a nicotina para sempre.

Os medicamentos da TSN - indicados só para adultos - não curam o tabagismo, mas podem fazer com que, conjugados com a sua força de vontade, se torne mais fácil deixar de fumar. Tal é possível porque a TSN atua disponibilizando nicotina na corrente sanguínea a níveis muito mais baixos do que um cigarro, sem alcatrão, monóxido de carbono e as restantes substâncias químicas prejudiciais do fumo do tabaco. Desta forma, ajuda a aliviar o desejo mais intenso de fumar e a prevenir ou reduzir os sintomas da sua abstinência.

A  gama Nicorette®  é  composta por adesivos  transdérmicos,  gomas para mascar  medicamentosas e solução para pulverização bucal; todos eles são indicados para o tratamento da dependência tabágica em adultos, através do alívio dos sintomas de abstinência, incluindo a vontade de fumar durante a tentativa de parar de fumar.

Está nas suas mãos deixar de fumar e acabar com os problemas causados por esta doença!

A verdade sobre a nicotina e a TSN (Terapêutica de substituição da nicotina)

Descubra o papel que a nicotina realmente tem, tanto na dependência como na terapêutica de substituição.

combattere la voglia di fumare

Como lidar com a vontade de fumar

Identificar as razões subjacentes à sua vontade de fumar é o primeiro passo para aprender a lidar com ela.